RE(EXISTÊNCIA)

Há exatamente um ano, nossas vidas mudaram. Tivemos que adaptar a nossa realidade ao momento pandêmico. O distanciamento social e o isolamento físico configuraram e moldaram uma nova realidade. Com as mudanças, surgiram novos modos de preservar as conexões sociais e afetivas como forma de manter a saúde mental em dia. As mulheres, que sabidamente possuem um grande número de responsabilidades, administram jornadas duplas e triplas, com os afazeres domésticos, organização da vida familiar, além de suas necessidades pessoais e profissionais. Neste período, percebe-se que os padrões e cobranças não foram amenizados, mesmo todos passando por este momento de muita dor, privações e sofrimento. Em virtude do isolamento e com a necessidade do trabalho remoto, a casa, que antes era abrigo e lugar de descanso, virou o escritório, a escola e sala de aula dos filhos, a pracinha, o local de lazer, o salão de beleza, a academia improvisada, o restaurante, etc. Estando em casa em período integral, as mulheres se viram cobradas a manter sua produtividade, sobrepondo papéis e executando multitarefas em um cenário completamente adverso. 

Através da exposição “(RE) EXISTÊNCIA”: Os vários lugares da Mulher na Pandemia”, abrimos uma janela para o diálogo com diferentes mulheres de duas categorias profissionais, muito atacadas neste momento em que o país vive: cientistas e artistas que compartilharam suas histórias, rotinas e desafios durante esse período de isolamento. Elas nos mostram e discutem a  forma como a pandemia tem impactado seu dia a dia, seus planos, projetos e perspectivas. Compartilham o que mudou, as lições desse momento, quais tarefas foram inseridas em suas rotinas e quais foram suprimidas, quais as maiores dificuldades enfrentaram e como mantiveram uma rede de contato e apoio com outras mulheres. 

A exposição está dividida em dois módulos, um com depoimentos de nove mulheres de diferentes áreas da ciência, e que é o primeiro a ser apresentado. O segundo módulo será aberto na sequência com a visão de mulheres das diferentes áreas das artes.

A exposição convida o público a explorar seus próprios desafios, refletindo sobre como a pandemia alterou sua vida e seus hábitos, a fim de que repensemos algumas sobreposições de tarefas, a busca desenfreada por produtividade, as comparações, as conexões familiares e sociais que foram favorecidas ou dificultadas pelo convívio diário, e os vários lugares que as mulheres ocupam e continuarão a ocupar.

Clique na janela:

Ficha técnica
Coordenação: Daniel Maurício Viana de Souza.
Curadoria: Noris Mara Pacheco Martins Leal, Maria Waleska Siga Peil Martins, Guilherme Susin Sirtoli e Carolina Fogaça Tenotti.
Concepção: Aline Tavares da Silva.
Criação de arte e design: Guilherme Susin Sirtoli e Carolina Fogaça Tenotti, Giulianna Picolo Bertinetti e Luísa Mantelli Anklam.
Ilustrações: Giulianna Picolo Bertinetti e Luísa Mantelli Anklam (@illustras).
Montagem: Guilherme Susin Sirtoli, Carolina Fogaça Tenotti. Noris Mara Pacheco Martins Leal, Maria Waleska Siga Peil Martins e Tayssa Jardim de Avila.
Programação: Tayssa Jardim de Avila.

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: